Resenha: O Medalhão de Ísis <3

Hoje é sexta-feira, dia de resenha por aqui 😀 Hoje eu vou falar sobre o livro O Medalhão de Ísis da escritora brasileira C. S. Camargo. Tive o prazer de ser umas das parceiras da página dela e de receber o livro pra fazer resenha. Não, eu não vou rasgar seda por causa da parceria. Eu sempre fui bem sincera nas minhas opiniões aqui no meu diário e agora não será diferente.

IMG_20150201_034459

Sinopse: O Medalhão de Ísis é o primeiro livro da trilogia sobre o guerreiro Faris e a princesa Ahlam, que partem em uma jornada pela Arábia até o Egito em busca de peças de um antigo artefato da deusa Ísis. Ambientado na Arábia do século IV a trama traz mitos, tradições, deuses árabes e fatos históricos da época em meio à guerras, traições, aventura e romance. A jovem princesa Ahlam sempre desejou conhecer o mundo além dos portões do palácio, mas no dia do seu 18º aniversário ela descobre que precisará casar com o príncipe herdeiro de um reino inimigo para o bem de seu povo. No entanto, ela mal podia suspeitar que naquele exato momento, não tão distante dali, o destino estava planejando mudanças na sua vida, onde ela acabaria se envolvendo com uma antiga lenda do Egito e maldições dos Deuses. Deparando-se com um guerreiro chamado Faris, ela acaba tendo a responsabilidade de levar um artigo artefato da deusa Ísis de volta para casa.

Esse foi o primeiro e-Book e o primeiro livro de 2015 que li e confesso que de primeira vista não fiquei muito empolgada por ser um e-Book. Nunca tinha lido um livro assim e sempre achei que seria cansativo mas me surpreendi. Devorei ele em pouquíssimo tempo e adorei a facilidade de tê-lo sempre comigo.

Eu tenho um apreço por histórias narradas por um narrador observador. Isso dá ao leitor uma visão ampla de todos os cenários e dos sentimentos de cada personagem e esse fato já me cativou de primeira. Ahlam é a filha mais velha do sultão e com quase 18 anos já está passando da hora de casar. Ela foi criada dentro dos muros do palácio e as raras vezes que podia sair, era acompanhada por vários soldados. E apesar de seu pai respeitar suas vontades e amá-la muito, ela se vê obrigada a casar com o príncipe do reino vizinho, Marzuq, para cessar as disputas dos reinos. Ela fica desolada com a situação e o jantar de seu noivado será no dia de seu aniversário. O Sultão Abbas, pai de Ahlam, a presenteia com um colar trazido do Egito, um artefato sagrado faria homens invadir palácios pra tê-lo, e foi exatamente isso que aconteceu. No dia do jantar de noivado o exército ao qual o famoso e honrado guerreiro Faris pertence, invade o reino de Nifah em busca do colar e as ordens são de matar qualquer membro da realeza. Porém a família de Ahlam juntamente com Marzuq e seu pai conseguem fugir a tempo através de uma passagem secreta, mas Ahlam corre pelo palácio em busca de sua criada e Marzuq a segue e exige que ela entregue o colar. Perdida e sem entender a situação, Ahlam se recusa a entregar o presente e Marzuq entra na passagem secreta deixando Ahlam para trás. E aí que o destino dela e de Faris se cruzam. Ele se encanta pelos cabelos longos e negros e os olhos verdes de Ahlam e mesmo sabendo que ela é uma princesa, ele a toma como sua escrava.

Daí em diante criaturas mágicas, um exército e dois homens obcecados pelo poder começam a persegui-los. E com a ajuda de um sacerdote, descobrem que foram escolhidos pelos deuses para reunir as poderosas peças de Ísis e destruí-las, antes que sejam usadas por alguém com péssimas intenções. Nesse meio tempo, a paixão entre eles aumenta e se transforma em amor e com a ajuda de Samir eles saem em busca das outras peças.

Achei o livro super bem escrito principalmente nas cenas luta (que são muitas). C. S Camargo explorou a fundo a mitologia egípcia contando toda a história de Ísis, seu medalhão e os outros deuses envolvidos na história. A história é bem ativa e nem um pouco maçante. As coisas acontecem na hora certa e a cada capítulo é uma nova emoção. O romance é bem estruturado e não tem nada de meloso. Os dois até se desentendem muito no início, afinal, ela foi sequestrada por Faris. Os personagens tem personalidade marcante e fiquei apaixonada por Faris ❤ Ele não é o mocinho que sempre faz tudo certo e é super romântico mas também não é mau. Ele é um típico guerreiro namorador que se apaixona pela princesa. Nunca foi santo, e eu gosto assim. É mais real, sabe?! Apesar de ter sido criada dentro do palácio e cheia de regalias, Ahlam não é chata kkk claro que ela tem dificuldades em acostumar a andar no deserto e racionalizar a água, por exemplo. Mas ela é gente fina. Se mostra corajosa e surpreendente.

Enfim, se eu roesse as unhas já estariam no toco por causa da minha ansiedade pra ler os outros livros. O Medalhão de Ísis me surpreendeu eu vários aspectos. Vibrei, me emocionei, fiquei com raiva, agoniada, chorei e bateu aquela depressão pós livro.”E agora, o que faço da vida?” Na próxima semana vai ter uma surpresa aqui no blog com a escritora 😀

Shukran, ;*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s